Diversidade linguística e desenvolvimento nacional: questões sobre política linguística em Moçambique

Autores

  • Gregório Firmino Universidade Eduardo Mondlane (UEM)

Palavras-chave:

diversidade linguística, estado-nação, desenvolvimento, política linguística, língua oficial, língua nacional

Resumo

O artigo aborda a relação entre diversidade linguística, assim como o uso de línguas de origem colonial, e os processos de construção de estados-nação, tendo, como foco principal, o caso de Moçambique. O seu objectivo é argumentar que a relação de causalidade entre estas duas dimensões não pode ser assumida como um dado adquirido, contrariamente às convicções associadas a muitos africanistas, que têm proposto que o atraso nos vários países africanos se deve à diversidade linguística e/ou ao uso de línguas de origem colonial. Assim, o artigo propõe que a gestão da situação linguística precisa de considerar os papéis simbólicos e comunicativos que as várias línguas assumem, sem um julgamento preconceituoso prévio, potenciando-se os seus valores sentimentais e instrumentais. Com base nestes pressupostos, analisa o caso de Moçambique, propondo-se subsídios para a definição de uma política linguística para o país.

Referências

BOKAMBA, Eyamba G. Ukolonia in African Language Policies and Practices. In: BOKAMBA, Eyamba G. et al. (eds). Selected Proceedings of the 40th Annual Conference on African Linguistics. Somerville: Cascadilla Proceedings Project, 2011, p. 146-167.

DAS GUPTA, J. Language conflict and national development. Berkeley: University of California Press, 1971.

DJITÉ, Paulin G. Langues et Development en Afrique. Language Problems and Language Planning, v. 15, n. 2, p.121-138, 1991.

DJITÉ, Paulin G. The sociolinguistics of development in Africa. Clevedon: Multilingual Matters, 2008.

FISHMAN, Joshua. Nationality-nationalism and Nation-Nationism. In: FISHMAN, J. Ferguson, C. e DAS GUPTA, J. (eds). Language problems of developing nations. New York: John Wiley, 1968, p. 39-52.

FISHMAN, Joshua. National Languages and Languages of Wider Communication. Language in socio-cultural change. Califórnia: Stanford University Press, 1972.

FIRMINO, Gregório. A questão linguística na África Pós-Colonial: o caso do Português e das línguas autóctones em Moçambique. Maputo: Promédia, 2002.

GEERTZ, Clifford. The Integrative Revolution: primordial sentiments and civil politics in the New States. The Interpretation of Cultures. New York: Basic Books, 1973a [1963], p. 255-310.

GEERTZ, Clifford. After the Revolution: The fate of nationalism in the New States. The Interpretation of Cultures. New York: Basic Books, 1973[1971], p. 234-254.

GONÇALVES, Perpétua. A génese do português de Moçambique. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2010.

HEINE, Bernd. Language policies in Africa. In: HERBERT, R. K. (ed.). Language and society in Africa. Johannesbug: Witwatersrand University Press, 1992, p. 23-35.

KELMAN, H. Language as an Aid or Barrier to Involvement in the National System. In: RUBIN, J. & JERNUDD, B. ( eds ). Can language be planned? Hawai: University Press of Hawai, 1971, p. 21-51.

LIJPHART, Arend. Democracy in plural societies: a comparative exploration. New Haven: Yale University Press, 1977.

LIJPHART, Arend. Power sharing in South Africa. In: POLICY PAPERS IN INTERNATIONAL AFFAIRS, 24, 1985. Berkeley. Anais… Berkeley: Institute of International Studies, University of California, 1985.

MACAGNO, Lorenzo. Lendo Marx “pela segunda vez”: Experiência Colonial e a Construção da Nação em Moçambique. Trabalho apresentado no IV Colóquio Marx e Engels, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, UNICAMP, 8-11 Novembro, Campinas, 2005.

MARIANI, Bethânia. Uma Revolução e seus Impasses Linguísticos: Moçambique. Letras, Santa Maria, v. 21, n. 42, p. 129-149, jan./Jun. 2011.

MOHOCHI, Ernest. Language and Regional Integration: Foreign or African Languages for the African Union? Trabalho apresentado na 10ª Assembleia Geral da CODESRIA, 8-12 Dezembro, Kampala (Uganda), 2002.

MYERS-SCOTTON, Carol. Elite Closure as a Powerful Language Strategy: The African Case. International Journal of Sociology of Language 103, p. 149-163, 1993.

NGUGI WA THIONG’O. Decolonising the Mind: The Politics of Language in African Literature. Harare: Zimbabwe Publishing House, 1987.

POOL, Jonathan. National Development and Language Diversity. In FISHMAN, Joshua (ed.). Advances in the Sociology of Language. The Hague: Mouton, p. 213-230, 1972.

PRAH, Kwesi K. No Country Can Make Progress on the Basis of a Borrowed Language. eLearning Africa News, 2013. Disponível em: http://www.elearning-africa.com/eLA_Newsportal/no-country-can-make-progress-on-the-basis-of-a-borrowed-language.

SUMICH, Jason. Construir uma Nação: Ideologias de Modernidade da Elite Moçambicana. Análise Social, v. XLIII (20), p. 319-345, 2008.

TAYLOR, Charles. Invoking Civil Society. Working Papers and Proceedings of the Center for Psychological Studies, No. 31, Chicago, 1990.

##submission.downloads##

Publicado

2020-10-15

Como Citar

Firmino, G. . (2020). Diversidade linguística e desenvolvimento nacional: questões sobre política linguística em Moçambique. Revista Científica Da UEM: Série Letras E Ciências Sociais, 1(1). Obtido de http://revistacientifica.uem.mz/revista/index.php/lcs/article/view/44

Edição

Secção

Artigos